Make your own free website on Tripod.com
Artigos
Os judeus Messianicos

HOME

Estamos de baixo da Graça ou da Lei?
Tabernáculo: Um Lembrete da Majestade de Deus
D-us e o judaísmo-messiânico
Os judeus Messianicos
Yeshua e seus discípulos viveram como judeus

Por que os cristãos devem amar Israel e seu povo?

Por Rav Marcelo M. Guimarães

Israel e o povo judeu têm vivido momentos difíceis, cruciais e decisivos nos últimos 18 meses e o conflito árabe-israelense tende agravar ainda mais. É bem provável que com o apoio das nações a ONU crie o Estado Palestino e parte dos territórios e de Jerusalém saem das mãos dos judeus.

Urge que todos, cristãos e judeus se voltem em oração ao Deus de Israel e que todo propósito profético escrito nas Escrituras se cumpra no seu devido tempo. Oremos pelos judeus e árabes!

Os corações de todos, judeus e cristãos, se entristecem quando ouvem uma declaração anti-bíblica e, sobretudo, anti-semita, como esta:

"O Estado palestino será criado com Jerusalém Oriental como sua capital. Com a ajuda de "Deus", eu o verei surgir, vivo ou como mártir" (Yasser Arafat- presidente da Autoridade Nacional Palestina)

Está escrito: - Todas as nações da terra se voltarão contra Israel e Jerusalém será um cálice de tontear os povos...sendo uma pedra pesada para as nações...(Zc12:2-3; 14:2). E isto já começa acontecer. O ódio pôr Israel e pelo povo judeu está se instalando nos corações de milhares de pessoas pôr esse mundo afora.

Nossos olhos espirituais devem estar bem atentos aos conflitos entre árabes e judeus. Devemos procurar entender o que está pôr trás das cenas de crianças atirando pedras contra um exército de canhões. E devemos saber que o que vai adiante dos homens-bombas não é somente o sonho de se ter um Estado Palestino ou alcançar o "paraíso" de Alá, mas antes de tudo, é um maligno plano de destruir Israel e seu povo, que sempre foi um propósito profético e divino. O diabo sabe que pouco tempo lhe resta e apagar Israel e seu povo do mapa atrasaria a vinda do Messias esperado pelos judeus e pelos cristãos. Mas, sabemos que Deus é fiel em sua Palavra e que tudo se cumprirá integralmente.

Quem na verdade tem direito de possuir a Terra de Israel- os judeus ou os árabes?

"o Senhor fez uma aliança com Abraão dizendo: dei essa terra para os seus descendentes, do rio Egito até ao grande rio Eufrates" (Gn15:18). Mais especificamente, em Gênesis17:8 lemos: toda a terra de Canaã.

Em Levítico 25:23 Deus afirma: "A terra não será vendida perpetuamente, porque a terra é minha, e vós estais comigo como estrangeiros e peregrinos". Deus possui a escritura da terra. Ele escolheu transferir o título de sua terra a Israel.

Os árabes reivindicam o direito sobre a terra de Israel como descendentes de Abraão através da linhagem de Ismael .Em Gn 25:1-6 lemos que os outros filhos de Abraão receberam presentes e foram enviados para as terras do oriente. Deus disse que os abençoaria (Gn17:20) e, hoje existem 21 países Árabes soberanos donos de 99,2% das terras do oriente e apenas um estado judeu com 0,8%. Com base nesta proporção qualquer leigo deveria entender que o conflito árabe-israelense não é na verdade questão de "terra", mas, sobretudo, um problema de ordem espiritual.

Claro! devemos orar também pelo povo árabe, Deus também o ama, mas jamais foi prometido pelo Eterno uma terra a eles e tão pouco a bíblia fala de uma terra chamada de Palestina. A propósito, este nome foi lhe dado pelo imperador Adriano, quando no primeiro século mudou o nome de Jerusalém para "Aelia Capitolina"(Capital do Sol), chamando aquela terra de Palestina (provavelmente o nome se origina de Philistina que por sua vez vem de filisteus). Naquela época os judeus foram expulsos de sua terra, passando a viver na diáspora, espalhados pelo o mundo.

Deus está restaurando a terra e o povo judeu!

Mas, é importante ressaltar aos cristãos que, Deus jamais rejeitou o povo hebreu e sua terra, o "Eretz Ysrael. Deus tem restaurado esta terra (a partir de 1948 os judeus começaram retornar para sua terra) e agora está restaurando o seu povo, profeticamente, para o qual há promessa de salvação e resgate (Vide as passagens:Ez36:24-26;Ez 37; Jr31:33-37 e Rm 11:1-26).

Pelas Escrituras Sagradas Deus irá restaurar as 12 tribos de Israel. No livro do profeta Isaías (cap11:11-12), encontramos: ..."Naquele dia o Senhor tornará a estender a sua mão para adquirir outra vez o resto do seu povo, que for deixado, da Assíria, do Egito, de Patros, da Etiópia, de Elão, de Sinar, de Hamate, e das ilhas do mar. Levantará também um pendão entre as nações e ajuntará os desterrados de Israel, e os dispersos de Judá congregará desde os quatro confins da terra... Os cristãos precisam atentar que o próprio Deus os dispersou e só Ele mesmo pode ajuntá-los novamente ( Jeremias 16:13-15). É interessante notar que o salmista diz que somente Deus tem o registro dos povos; ele sabe onde cada um de nós nasceu e está( Salmo 87:6). Por isso, somente Ele pode ajuntar seu povo. Não há restauração do povo sem a restauração de sua terra. Por isso, os cristãos devem entender as Escrituras e ajudar os judeus neste processo de restauração de sua terra, o Estado de Israel como nação, tendo Jerusalém como sua eterna e indivisível capital.

O que pouca gente sabe, incluindo também uma boa parte dos cristãos, é que o grande Dia do Senhor, na sua vinda milenar do Messias, acontece quando os judeus reconhecerem o Messias de Israel, que é o mesmo que os cristãos esperam voltar aà esta terra, segundo inúmeras passagens na Bíblia, como, Zc12:10;Rm 11:26;Ap 14; Mt 24, Ef 2; etc. Deus jamais rejeitou o povo judeu (Jeremias 3135-37 e Romanos 11:1-2) e jamais deixaria Israel para trás.

Por que os cristãos, incluindo os católicos, protestantes, evangélicos e outros, devem amar Israel e seu povo?

Há inúmeras razões, mas podemos enumerar algumas, como: primeiramente, a fé cristã é uma fé judaica; a bíblia foi escrita por judeus e, além de tudo, Jesus é judeu. Segundo, a salvação veio dos judeus, e, por meio da rejeição deles, a salvação a todos os povos.

E como antes disse Isaías: Se o Senhor dos Exércitos nos não deixara descendência, teríamos nos tornado como Sodoma, e teríamos sido feitos como Gomorra" (Rm 9:29). Terceiro, os gentios são a eles devedores, pois foram enxertados no povo de Deus (Rm11:17)."Digo, pois: Porventura tropeçaram, para que caíssem? De modo nenhum, mas pela sua queda veio a salvação aos gentios, para pô-los em ciúmes" (Rm 11:11). Há somente um Israel. Os cristãos gentios não se tornam Israel, mas são enxertados em Israel através de Jesus Cristo. "E se a sua queda é a riqueza do mundo, e a sua diminuição a riqueza dos gentios, quanto mais a sua plenitude" (Rm 11:12).

Devemos entender que o "endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades" (Rm11:25,26).

Os cristãos afirmam que um dia os judeus reconhecerão que Jesus é o Messias esperado, o Rei dos Reis. Teria isto base bíblica?

Sim, tem. O próprio livro do profeta Zacarias afirma: ..." Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito" (Zc 12:10). As Escrituras afirmam que Jesus foi traspassado, foi filho primogênito e unigênito de Deus. (Miquéias 6:7; Salmo 89:27; Colossenses 1:15; João 3:16; 1João 4:9; etc)

Agora, o motivo mais importante, - Quem foi enxertado na Oliveira (que é Israel), participando da mesma "seiva" e da mesma raiz dos patriarcas judeus? ( Rm 11-17-18). Quem tem nas mãos a responsabilidade de levar as "Boas Novas" aos povos? (Mc16:15). Quem deveria estar exercendo misericórdia e amor para com os judeus? ( Rm 11:28-32). Contra quem as portas do inferno não prevalecerão e por isso tem autoridade máxima na terra? (Mt16:18). Resposta: Os cristãos, que lamentavelmente, pela história, são os que mais tem perseguidos Israel e seu povo.

Os cristãos de todo o mundo, mais de um bilhão de pessoas, deveria agora estar fazendo algo por Israel e por esta causa profética, pelo menos ajudar seus irmãos na fé, os judeus messiânicos, a preservar o judaísmo vivo, preparando seu próprio povo para a chegada do Mashiach (Messias).

A volta profética dos judeus à sua terra

"Eis que eu os congregarei de todas as terras, para onde os tenho lançado na minha ira, e no meu furor, e na minha grande indignação; e os tornarei a trazer a este lugar, e farei que habitem nele seguramente. E eles serão o meu povo, e eu lhes serei o seu Deus" (Jr32:37-38).

A criação do Estado de Israel, o movimento sionista, o movimento judaico-messiânico, tem contribuído para levar os judeus do mundo todo de volta a Sião, a terra (Eretz) Israel, e isto é uma das maiores prova da fidelidade da palavra de Deus. O deserto dando fruto e a língua hebraica reconstituída são as provas das profecias do Eterno para com o seu povo que já começou a reconhecer profeticamente, Yeshua Há Mashiach, Jesus o Messias judeu, como o rei dos Reis que veio como Ben Yosef ( Filho de José ou filho do Homem), mas que agora volta como Ben David ( Filho de David, vindo do seio do próprio Deus).

Como pode, então, os cristãos desmerecerem Israel, não intercedendo pelo povo judeu se há promessas do Eterno?

"Urge que todos nós levantemos nossas bandeiras a favor da nação de Israel e pelo resgate do povo judeu".

Todo cristão precisa saber que ser anti-semita é ser anti-cristão!

Isto é lógico, pois se os cristãos pela Bíblia foram enxertados na "Oliveira" que é Israel de Deus e serão no futuro um só família com eles quando o Messias chegar, então, os cristãos não podem ser contra a restauração da terra e do povo judeu, pré-requisito para a grande vinda do Messias.

Não permita, meu irmão cristão, que haja em você qualquer raiz anti-semita e assuma a intercessão a favor de Israel. A Igreja Cristã precisa, então, estar do lado de Israel no sentido que Israel e seus governantes cumpram os propósitos delineados pelo o Eterno Deus Único. Os Cristãos precisam entender que os judeus podem reconhecer o seu Messias, sem contudo deixar de ser judeu. Porquanto, o judeu crê também nas escrituras judaicas que fazem parte da fé cristã. É necessário amá-los, não impondo a fé "cristã", porque na verdade ela é uma fé de origem judaica. Eles são judeus, crêem na mesma Bíblia (Antigo Testamento) que você crê. Os cristãos precisam saber que pelas Escrituras Sagradas os judeus precisam viver como judeus e não como gentios, mesmo se eles reconhecerem Yeshua como o Messias Ben Yosef, Jesus de Nazaré. O livro judaico de Atos dos Apóstolos já previa esta situação: Veja Atos 21:20;24:14;25:8 e 28:17 são bons exemplos.

Deus concluirá seu plano de salvação para com os judeus e a nação de Israel (Rm11:26) e implantará seu reino (Ap20:2) com seus eleitos, judeus e gentios, justificados pela pessoa do Messias Yeshua Há Mashiach. "

Por isso, os judeus também devem conhecer mais as Escrituras e serem mais tolerantes com os cristãos, somando esforços para a restauração da terra e do povo escolhido.

Os próprios governantes judeus estão divididos

Como dito anteriormente, o fato de os árabes quererem Jerusalém como capital da Palestina é uma questão maligna para atrasar o plano de Deus.

Nós, judeus messiânicos, não queremos guerra alguma. Oramos também pela paz. O primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, defende a posição de combater o terrorismo e não negociar as terras de Israel. Shimon Peres, Ministro das Relações Exterior, quer continuar a política de posse da terra por paz, ou seja a devolução de parte por territórios ocupados após a Guerra de 67 em troca da paz, com os palestinos. A verdade é que as Sagradas Escrituras afirmam que ambos os povos e toda a terra só encontrará a verdadeira paz quando conhecerem e receberem o SAR-SHALOM, o Verdadeiro Princípe da Paz, o Rei dos Reis, Yeshua, o Messias. Sem ele não há e nem haverá a duradoura paz!

Israel, nação eleita de Deus

"Porque povo santo és ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra" (Dt 7:6).

O plano de Deus

Deus não escolheu uma religião, mas um povo de carne e sangue. Deus tem colocado o povo judeu a parte de outros povos na terra, com o objetivo de usá-lo para um propósito específico: a redenção do mundo.

Deus envolveu os judeus com mandamentos especiais, os quais não permitem que eles se pareçam com outras nações ou assemelhem-se, ou desapareçam.

Deus deu ao povo sinais específicos, é o que diz em Deuteronômio 6:8, "Tu atarás como um sinal." Isto é uma questão de obediência, os quais os marcam, e os ajudam a lembrarem e serem fiéis à aliança: sinal no tempo (Sábado) ; sinal no corpo (circuncisão); sinal da alimentação ( as normas do Casher); sinal geográfico ( a terra de Israel); sinal no vestir-se e nas casas (Tefilim, Tzitzit, Mezuzá).

Pode, acaso, nascer uma terra num só dia? Ou nasce uma nação de uma só vez? (Is66:8)

"Portanto profetiza, e disse-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu abrirei as vossas sepulturas, e vos farei sair das vossas sepulturas, ó povo meu, e vos trarei à terra de Israel" (Ez37:12).

Israel é o único país cuja criação podemos dizer simplesmente que foi um milagre. Após passar pelos imperadores romanos, os Cruzados da idade média, A inquisição de Roma, os Progons soviéticos, o quase fatal Holocausto, assassinando ca. 6 milhões de judeus na Europa pelas tropas de Hitler, em 15 de Maio de 1948, o remanescente judeu formou o Estado de Israel.

Deus sempre amou Israel e seu povo e não o desamparará.

Deus é justo e fiel a este chamado irrevogável para Israel. No final, Israel sairá vitorioso e o próprio Deus dos nossos patriarcas virá em seu socorro. Porém, A Torah e todos os demais livros mostram que toda vez que Israel ignora seu chamado irrevogável como povo escolhido, afastando-se dos mandamentos e estatutos ordenados por Ele, alto preço é pago e os inimigos prevalecem sobre Israel {Devarim (Deuteronômio 28:45-47;58;64)} Mas, no mesmo livro encontramos a vitória quando o Eterno diz..."Guardai, pois, as palavras deste pacto, e cumpri-as, para que prospereis em tudo quanto fizerdes..."

Os livros de Neviim (Os profetas) através de Ezequiel diz estas consoladoras palavras: ..."Dize-lhes pois: assim diz o Senhor Deus: Eis que eu tomarei os filhos de Israel dentre as nações para onde eles foram, e os congregarei de todos os lados, e os introduzirei na sua terra; e deles farei uma nação na terra, nos montes de Israel, e um rei será rei de todos eles; e nunca mais serão duas nações, nem de maneira alguma se dividirão para o futuro em dois reinos; nem se contaminarão mais com os seus ídolos, nem com as suas abominações, nem com qualquer uma das suas transgressões; mas eu os livrarei de todas as suas apostasias com que pecaram, e os purificarei. Assim eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus."

Jerusalém, cidade do Grande Deus!

Orai pela paz de Jerusalém; prosperem aqueles que te amam". Sl 122:6

Este estatuto é válido para todos e os cristãos devem praticá-lo. Além do mais, orar por Jerusalém nos traz prosperidade. Por que os cristãos não podem ter o hábito de orar por Jerusalém em todos os cultos e encontros que se tem na Igreja?

"Por amor de Sião não me calarei, e por amor de Jerusalém não me aquietarei, até que saia a sua justiça como um resplendor, e a sua salvação como uma tocha acesa. E os gentios verão a tua justiça, e todos os reis a tua glória; e chamar-te-ão por um nome novo, que a boca do SENHOR designará.

E serás uma coroa de glória na mão do SENHOR, e um diadema real na mão do teu Deus. Nunca mais te chamarão: Desamparada, nem a tua terra se denominará jamais: Assolada; mas chamar-te-ão Minha delícia; e à tua terra, A casada; porque o SENHOR se delicia em ti; e a tua terra se desposará." (Is 62:1-4)

  

O QUE É O MOVIMENTO JUDAICO MESSIÂNICO ?
Por Marcelo Miranda Guimarães

Na verdade o movimento judaico-messiânico é muito antigo, pois nas nasceu em Israel, quando Jesus começou escolher seus apóstolos. Todos eram judeus de nacionalidade. Até o ano 70C.E havia mais crentes judeus (aqueles que reconheciam Jesus como o Messias de Israel do que os gentios. Mas, depois da destruição do segundo Templo, a destruição de Jerusalém pelo Imperador Tito, iniciou-se a dispersão dos judeus pelo mundo. E, após o trabalho do Apóstolo Paulo, o apóstolo dos gentios, os gentios alcançados passaram a representar em maior número do que os judeus. Judeus crentes em Yeshua e gentios frequentavam as mesmas sinagogas. Isto durou mais ou menos até o ano 135 E.C. quando o rabino Akiva declarou que o revolucionário Bar Kochba era o Messias. Tal fato fêz com que os judeus crentes e os gentios cristãos abandonassem as sinagogas tradicionais, procurando outros lugares para suas reuniões. Na verdade, segundo pesquisa do Sr. David Stern (1) as Escrituras não aplicam a palavra cristão para os judeus messiânicos.

O Novo Testamento dos denomina seguidores de "deste caminho" ( At 9:2 e 22:4) e nazarenos ( atos 24:5). São ramos naturais da oliveira na qual os crentes gentios foram enxertados ( Rm11:16e26). Na opinião do Sr. David Stern este termo cristão era empregado apenas para os crentes gentios. A palavra cristão aparece apenas mais duas vezes no Novo Testamento. Em Atos 26:24-29, Paulo detido em Cezaréia para ser julgado diante do imperador em Roma, falou ao rei Herodes Agripa e à sua corte. O erudito Rei Agripa reagiu à seriedade de Paulo, rebatendo a explosão de Festo, ironizando suavemente: "Por pouco não me persuades a fazer-me cristão"(2) A terceira vez em que a palavra Cristão aprece é em IPe 4:14-16..." se porém padecer como cristão, não me envergonhe, pelo contrário, glorifique a D-us por Ter este nome..." Além do mais o judeu quando reconhece yeshua como seu Messias ele não gosta de ser chamado de "cristão". Primeiro, ele não elra nenhum pagão e já cria, na maioria dos casos, no D-us único de Israel. Segundo, os cristãos perseguiram e mataram seus pais pela falsa acusação que os judeus mataram Cristo, etc. Terceiro, o termo cristão é grego, Kristhous, que quer dizer também "ungido". Este termo hoje está desgastado, pois, pelo menos aqui no Brasil, quase todos se dizem cristãos e nem sabem o que é isto e, na maioria das vezes, dão até péssimos testemunhos. Por isso, ele prefere dizer "Messiânico" que quer dizer também "ungido", porém proveniente da palavra Mashiach, no hebraico, que quer dizer Messias ou Cristo. O termo judaísmo messiânico remonta a 1826 quando Theodore Lucky travou uma controvérsia com David Baron em 1911. Em 1920 surgiram artigos do jornal da Aliança Internacional Hebreu-Cristã. Nos anos 60 Manny Brotman entitulou sua organização de "Movimento Internacional de Judaísmo Messiânico". Em 1976, a Aliança Hebreu-Cristã da América mudou o nome para "Aliança Judeu Messiânica da América" (MJAA). Em 1979 formou-se a União das Congregações Judaico-messiânicas (UMJC). De lá para cá o movimento tem se alastrado rapidamente.

(1) O QUE É O MESSIANISMO ? A palavra Messias vem do hebraico (Mashiach). O termo cristão vem da palavra grega para Messias que é Cristo. Ambos os termos querem dizer em português: Ungido. Mas o termo messiânico surgiu quando judeus se converteram a Yeshua, não optando por congregar em denominações cristãs. Uma vez que D-us não rejeitou a nação de Israel - o povo judeu - isto é válido. Por que o judeu convertido teria que pagar todo o preço do termo cristão, hoje tão desacreditado e contaminado por erros do passado e do presente ? A princípio, o termo judeu messiânico era empregado somente para aquela "pessoa que nascia judia, ou se converteu ao judaísmo, que é verdadeiro crente em Yeshua e reconhece a sua judaicidade." (David Stern). A característica básica do messianismo é viver dentro da estrutura da Torah. Já mencionamos, anteriormente, Ben Gurion, primeiro ministro de Israel, dizia que judeu é qualquer um que, tendo em vista as agruras suportadas pelos judeus, mostra-se disposto a denominar-se judeu. Também já mencionamos Paulo dizendo em Romanos 2: 29 que judeu é aquele que é circunciso de coração, interiormente, não na carne e nem na letra. Atualmente, o termo messiânico tem maior amplitude e inclui conceitos de restauração quer do judaísmo bíblico e restauração das raízes judaicas do cristianismo. É importante frisar que Judeu quando se converte a Yeshua torna-se pelas Escrituras 100 % judeu, a verdadeira oliveira de Romanos 11. O movimento messiânico como um todo, incluindo suas diversas modalidades, visa, dentre outros pontos, a apresentação do Messias Yeshua ao povo judeu e à nação de Israel; a reconexão da igreja gentílica a Israel; ministérios de misericórdia (espiritual e ajuda física Rm. 14, Rm. 11) e de intercessão ou mesmo os movimentos em prol da restauração das raízes judaicas da fé cristã.

MAS POR QUE O JUDAÍSMO MESSIÂNICO ? Eu irei apresentar este tópico, para fins de maior clareza, enumerados através de conceitos seqüências, dispensando assim os mesmos tópicos dentro de um texto. Mas, enfim, é só uma questão didática, pois o leitor pode acompanhar sem maiores problemas os tópicos, uma vez que eles estão interrelacionados. Tem que ficar bem claro que a Palavra Messiânica está relacionada, antes de tudo, ao ser judeu e ao seu estilo de vida. Agora, uma pessoa pode não ser judeu de nacionalidade ou ancestralidade e optar um um estilo de vida de acordo com a Torah. Eu pessoalmente, conheço muitos judeus de sangue que não são messiânicos, pois vivem como gentios e não como judeu. O que deve marcar, então, o messianismo, é o estilo de vida de acordo com os fundamentos e princípios da Torah. Não estou falando de viver debaixo da graça e sobre o legalismo da lei. Isto não teria nenhum sentido. Vivemos na graça de D-us, por ela somos salvos, mas nós judeus temos estatutos perpétuos e ordenanças que devem ser cumpridas só por judeus. É disto que estou estou falando. Não de gentio vivendo sob o legalismo ou fanatismo da lei, esquecendo da graça de D-us. PARA OS JUDEUS :

1. Judeu é povo escolhido entre as nações e profeticamente sua nação será salva (Rm. 11:26 / Zc. 12:10 e outras ...); 2. Judeu quando se converte continua sendo judeu, não é necessário que ele deixe as práticas das leis, das tradições etc, para se converter a qualquer religião ou denominação cristã. Eles já tem o Antigo Testamento, necessitando apenas considerar o Novo Testamento como livro judaico e a pessoa de Yeshua como o Messias; 3. Não é necessário que eles passem ou assumam um nome "cristão", sujeito a más interpretações e erros doutrinários do cristianismo; 4. Eles são uma "ponte" para a conversão dos judeus não-messiânicos; 5. É necessário para que os gentios cristãos tenham todo o conselho de D-us; 6. É útil para enfocar a atenção da igreja gentílica, aproximando-a do contexto judaico e de Israel; 7. É necessário restaurar as raízes judaicas da fé cristã, as quais trarão melhor entendimento à pessoa de Yeshua, estilo e melhor qualidade de vida; 8. Será um testemunho para o mundo, pois o amor de D-us é eterno nos seus propósitos de salvação para os judeus e gentios; 9. Pelo messianismo os judeus podem agradecer aos cristãos e à Igreja de Cristo, pois hoje ela é a única com autoridade para interceder e levar as Boas Novas aos outros judeus não conversos. PARA OS GENTIOS : 1. É necessário restaurar as raízes judaicas da fé cristã; 2. É legal, pois a igreja gentílica está enxertada na oliveira do Israel Espiritual e, em Yeshua, nos dá os mesmos direitos de bênçãos e promessas do Velho Testamento; 3. É necessário para aproximar a igreja gentílica de Israel e do povo judeu; 4. É necessário despertar nos judeus não messiânicos o interesse por Yeshua e seu plano profético de salvação de Israel; 5. A comunidade messiânica oferece um ambiente menos agressivo à conversão dos judeus; 6. O judaísmo bíblico é a base do cristianismo, garantindo assim, a não proliferação de seitas cristãs. Ex.: espiritismo, mormismo, etc; 7. O muro de separação foi quebrado na pessoa do Messias entre judeus e gentios. Os dois serão um só corpo em Cristo; 8. Muitas pessoas têm suas raízes judaicas e têm o direito de restaurá-las como crentes em Yeshua; 9. Pelo messianismo, a igreja cristã gentílica pode agradecer aos judeus que através do judaísmo preservaram a Torah e as boas tradições para os cristãos restaurarem suas raízes.

HAVERÁ OPOSIÇÕES TANTO PELO LADO DOS JUDEUS NÃO MESSIÂNICOS COMO DA IGREJA CRISTÃ Os judeus não messiânicos argumentarão que o messianismo acabará com o judaísmo. Isto não é verdade, pois o judeu pode aceitar o Messias e continuar sendo judeu. Como é profético no AT e NT o reconhecimento de Yeshua como o Messias pelos judeus, é só uma questão de tempo a revisão e a correção da teologia judaica, que passará por um processo de restauração; As oposições do lado cristão ocorrerão também, pois acusarão os messiânicos de judaizar a igreja gentílica. Também não haverá sustento para este argumento, pois é profético a restauração das raízes judaicas da fé cristã e sua reconexão a Israel.

QUAIS OS TIPOS DE COMUNIDADES MESSIÂNICAS ? Primeiro, nós temos aquelas que são constituídas por 100 % de judeus convertidos; É muito difícil na prática, embora algumas congregações tentam ser exclusivas para os judeus. Mas, no modelo bíblico do primeiro século, judeus e gentios conviviam-se bem, como parte da família de D-us (Ef.2) As Congregações Mistas são as mais comuns, onde judeus e gentios messiânicos convivem juntos, pois o gentio cristão tem a opção pelas Escrituras, de levar um tipo de vida estruturada na Torah, a qual não salva, mas traz, dentre inúmeras bençãos, qualidade de vida e santidade. Neste tipo de congregação (prefere-se o termo congregação, pois a Igreja somos nós seus membros) os judeus devem viver como judeus, seguindo suas tradições bíblicas e judaicas e os gentios devem viver como gentios, sendo livres para abraçarem as tradições ou não. O que se questiona aqui é o termo judaizar. Não estaria o gentio sendo judaizado. Primeiramente, temos que definir o termo judaizar. No dicionário do Aurélio este termo é definido para práticas ou ritos judaicos totais ou parciais. Assim, cerimônias como batismo (mikeh em hebraico), ceia (kidush), coleta do dízimo, cânticos, hinos, cerimônia do casamento, apresentação de crianças no Templo, etc. todas são judaicas. Então, não estariam também as igrejas evangélicas ou cristãs também judaizando? O que é realmente importante é se estas ordenanças são bíblicas ou não. Se são tudo bem, dentro da ordem e do princípio que motivam a nossa fé. Tudo é uma questão de fé. Paulo fala em colossenses 2:16..." ninguém, pois, vos julque pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, que são sombras das coisas vindouras, mas o corpo é de Cristo." Este versículo, na minha opinião é um dos mais claros e dirime dúvidas. Os crentes de Colossos tinham os mesmos tipos de problemas e acusações judaizantes. Ora se tudo é sombra do que se viria, eu me pergunto: Estamos na sombra ou na luz de Cristo. Ora, se eu estou em Cristo, tudo isto para mim não é mais sombra, mas realidade. Então, qualquer ato simbólico que fizermos estará representando uma realidade, um fato real. Jesus é real em nossas vidas. Agora, o problema se agrava é para o judeu não crente que está na sombra. Ou seja, ele ainda não crê no Messias.

Aí sim, sua páscoa, seus sábados, suas tradições que dizem do Messias estão realmente na sombra. Mas, nós não estamos na sombra, então, significa que quando celebramos a festa da páscoa, por exemplo, Cristo é o meu Cordeiro real que foi imolado em meu lugar. Ele perdoa meu pecado agora e eu posso sair do "egito" e ser liberto agora. Isto é muito profundo, e isto nos serve para lembrarmos e tomarmos posse das nossas heranças e da nova criatura que somos em Cristo, e não para judaizar ou parecermos com os judeus que estão na sombra. Esta é a questão que gostaria de discutir com os irmãos. Nossa Páscoa é real, nosso Sábado é real, nossas outras festas são reais, porque falam da pessoa do messias yeshua, em quem cremos ser nosso legítimo Messias e ponto final !

PODE HAVER COMUNIDADE GENTÍLIA MESSIÂNICA ? Pode, na minha opinião. Neste caso vou imaginar que todos optaram por viver de acordo Dom o estilo de vida da Torah, o que é possível a todos. Pois as bençãos da Torah estão disponíveis a todos. Mas eles não serão judeus e nem devem se passar por judeus. Eles podem porque o muro de separação entre judeus e gentios foi quebrada por Yeshua (Ef.2). D-us só tem uma única oliveira, que é Israel, na qual os gentios crentes em Yeshua foram enxertados (Rm. 11). E também podem ser messiânicos porque tem o livre direito de escolha quanto ao seu estilo de vida. Mas, eles não são judeus e não podem passar por judeus. Eles devem assumir. Somos gentios, mas queremos viver no estilo messiânico. Além do mais, neste caso, a característica deste movimento deve ser clara: ou se voltarão para um projeto de restauração das raízes judaicas da fé cristã, ou para o evangelismo de judeus e Israel, ou projetos, ou visões que justifiquem biblicamente a existência de uma comunidade messiânica gentílica.

UM GENTIO LEVANDO UM ESTILO DE VIDA EM CONFORMIDADE COM A TORAH NÃO ESTARIA JUDAIZANDO ? O termo judaizar significa solicitar aos gentios que vivam ou se portem como judeus (Gl 2: 11-15); a heresia está em insistir em que não se salvarão a menos que o façam. Isto é impor aos gentios as observância da Lei. Se não há imposição e nem prática de heresia, não haveria o ato de judaizar, uma vez que se os preceitos e os princípios da Lei do Antigo Testamento são bíblicos. Yeshua não anulou a Lei (Mt. 5:17); toda a Escritura é boa e santa, inspirada pelo Espírito Santo (II Tm. 3: 16); em Cristo somos co-herdeiros das promessas de Abraão (Gl. 3: 29); a maldição está no não cumprimento da Lei e não na Lei em si, que expressa um princípio de D-us (Gl. 3: 13). __________________________________________________
(1);(2) - Livro Dr. David Stern - O Manisfesto judeu Messiânico- 1989-comunidade Emanuel

© Copyright - Permitida a cópia desde que seja citado o autor